Category Archives: Mulheres que fazem a diferença

Como envelhecer lindamente. Como?

Queridos, segunda passada, estava  conversando com uma amiga sobre envelhecer. Começamos este assunto porque encontrei uma foto desta amiga (ela estava tão linda que parecia uma boneca) e no nosso primeiro encontro de 2016, entreguei a foto.
Ela olhou e disse: o que o tempo faz conosco…

post3

Falamos bastante sobre como o stress, o dia a dia, as decepções, o cansaço vão refletindo no nosso interior e exterior; e como poderíamos fazer para que as alegrias, o trabalho que amamos, o amor pela família, os projetos ficassem acima de tudo que é negativo.
Claro que conforme os anos vão passando, a pele vai ficando mais flácida, o cabelo muda, a memória falha, as dores aumentam…até aí tudo dentro do normal.
Mas porque vai acabando a graça de viver?
 Aquele brilho nos olhos, aquela vontade de novas experiências, de viajar, de conhecer gente, de produzir, será que não podem ficar até o fim??

post1

Ninguém quer morrer, mas depois de uma certa idade parece que morremos. Quando a pessoa vai ficando velha, ela e os outros acabam achando que como já viveu bastante, o que vier é lucro e não tem necessidade de buscar mais nada e aí é só esperar. Esperar o fim da história chegar, sem precisar protagonizar suas próprias cenas.

post2
Os cuidados estéticos, os cuidados com a saúde e alimentação são necessários, mas nossa cabeça, os sentimentos que temos e com os quais alimentamos nossos pensamentos são fundamentais, acredito que tenham maior influência.

Olhar enxergando, ouvir(mesmo que seja com aparelho) com atenção, ter interesse real pelo que nos cerca e pelo que não conhecemos ainda.Querer aprender mais, uma receita, um idioma, algo na internet. Ser curioso.
A alegria de descobrir, de compartilhar, de se relacionar.
Em tudo achar graça. Dar risada.
Não deixar a emoção envelhecer.
Assim, acho que na hora de morrer, mesmo que seja aos 100 anos, nossa pergunta será: mas já?

Coincidentemente, procurando o que assistir, encontrei um filme sobre Iris Apfel.

Pra mim, Iris Apfel é uma resposta viva de como envelhecer lindamente. Envelhecer bonito pra mim, é um pacote e não só a beleza física. Não é a única, temos muitas respostas traduzidas em pessoas, mas pra mim ela é incrível.
Ouvi falar sobre Iris, mais ou menos há sete anos atrás, quando uma artista disse que faria uma obra inspirada nela.
Na época, lembro que já a achei muito interessante.
iris

Seu estilo, sua autenticidade, seus olhos, suas roupas, acessórios, seus óculos enormes. Você não fica com mais vontade de conhecê-la agora do que quando ela era jovem?

iriseseumarido
Iris e seu marido Carl Apfel.
Carl, faleceu, infelizmente, três dias antes de completar 101 anos.

O relacionamento com seu companheiro de tantos anos, a forma de falar, seu trabalho como decoradora, sua empresa de tecidos, as viagens que fez com o marido pelo mundo, por onde passou, o que conheceu, o que comprou. Pra onde vai hoje, o que cria, com quem se relaciona, as visitas que ainda faz para procurar objetos interessantes mesmo com as dificuldades de andar.

Anna Wintour Costume Center Grand Opening
Pasmem: Ela tem 94 anos e diz que ainda recebe muitos telefonemas todos os dias, às vezes até 50 no mesmo dia!!

Qual será que é o segredo pra envelhecer assim?
Não ser uma desconhecida pra nós mesmas?
Saber o que fica bem e o que não fica e assim nos sentirmos mais seguras?
Ter coragem? A coragem vem do fazer vocês sabiam?
Gostar do que fazemos e de quem somos?
Olhar o próximo com empatia e compaixão?

Amigos e amigas queridos.
Não sei o segredo deste pacote, ainda!
Afinal, espero estar só na metade da jornada!
Quando estiver velhinha, bem bonita, ativa e feliz,eu conto.

iris4

Estas frases abaixo são de Iris Apfel.
Tirei de uma matéria na Vogue da época em que ela visitou o Brasil em 2013 a convite da Swarovski,
Vale a pena ler.

#1. “Todo mundo tem que começar de alguma forma, eu comecei noWWD como uma copy girl. Ser uma copy girl significava pegar papéis nas impressoras e ir levando de um editor para o outro. Apesar de ganhar 15 dólares semanais, eu amava o que fazia, mas tive que sair quando percebi que as pessoas cujas posições eu poderia vir a ocupar eram muito velhas para engravidar ou muito novas para morrer”.

#2. “Quando o MET me chamou para criar uma exposição ['Rara Avis', em 2005] eu pensei: ‘Vai ser fácil eu só preciso colocar umas peças que eu gosto numa vitrine’. Mas aí eles sugeriram de mostrar como usava cada acessório em diferentes épocas da minha vida. No final das contas, saíam uns três caminhões de roupa todos os dias da minha casa. Fora que havia várias cláusulas sobre ganhar uma exposição no MET, uma delas era já ter morrido, mas como vocês podem perceber, essa foi eliminada”.

#3. “Me falaram que eu ia encontrar apenas coisas made in China no Brasil, mas fui a feiras maravilhosas, que mantêm viva a cultura daqui. Comprei algumas coisas e confesso que se a alfândega deixar, eu vou levar muitas coisas para casa e até mesmo pendurá-las em mim”.

#4. “Adorei dois lugares no Brasil: o primeiro foi o Museu Afro Brasil, adorei saber que tem um lugar que mostra como a cultura africana colaborou com o país, há peças belíssimas, eu aconselho todo mundo a ir lá. O segundo foi um lugar com grafites dos dois lados [disse se referindo ao Beco do Batman, na Vila Madalena], que parece um sanatório. Eu amei”.

#5. “Se aposentar é pior que morrer. Há tantas coisas esperando para ser feitas no mundo”.

#6. “Uma peça que eu jamais usaria? O biquíni, of course!”.

#7. “Uma dica para uma boa mala: leve metade das roupas e o dobro de dinheiro. Eu faço péssimas malas. Por exemplo, trouxe essa coisa [se referindo a uma enorme estola lararanja que usava] e não trouxe uma capa de chuva”.

#8. “O conceito de elegância não mudou com o passar do tempo. Ele foi jogado pela janela”.

#9. “Há necessidade de se ter artistas, pelo simples fato de que se eles não existirem, as pessoas murcham e morrem sem a arte”.

#10. “Aprendi com a minha mãe que se você tiver um único vestido preto e os acessórios certos, você pode ter 50 vestidos diferentes”.

por (VINICIUS ALENCAR)

 

3 Comments

Filed under Mulheres que fazem a diferença, pessoas que fazem a diferença

“Vão bater na sua porta, sentar numa cadeira e consumir seu tempo sem lhe acrescentar nada… – cuidado!

Amigos,  este post da Luciene Felix Lammy é incrível!!
É sempre bom pensar com quem nos relacionamos, as pessoas que temos atraído  e pra quem dedicamos nosso tempo, que como disse a Lu, está cada vez mais escasso.

Luciene é colaboradora do nosso blog com análises maravilhosas de obras de arte – se você perdeu, poder ler os artigos aqui, aqui e aqui.

Olhem o texto que abre o artigo!
“Vão bater na sua porta, sentar numa cadeira e consumir seu tempo sem lhe acrescentar nada. Quando muitas pessoas nulas aparecem e seguem aparecendo, você tem que ser cruel com elas, pois elas estão sendo cruéis com você. Você tem que botá-las pra correr. Tolerar os embotados não é sinal de humanidade, apenas aumenta seu próprio embotamento, e eles sempre deixam um pouco desse peso com você quando vão embora.”
Charles Bukowski (1920-1994), poeta e escritor alemão.

Perfeito!
Não deixem de entrar no blog da Lu clicando aqui  e leiam o artigo todo.

bukowski
Charles Bukowski (1920-1994), poeta e escritor alemão.
Sobre Luciene:
titulação luciene

1 Comment

Filed under Eu li., Mulheres que fazem a diferença

E 2016 chegou!

O que será que nos espera neste Novo Ano que já alcança seu quarto dia?
Nunca sabemos o que vai acontecer não é mesmo?

Podemos planejar, executar, sonhar, imaginar e até acertar, mas o futuro realmente não nos pertence.
Então só nos cabe fazer o melhor, o melhor a cada momento.

Cuidar de nossa alma, alimentando nosso relacionamento com Deus.
biblia1
Nisto creio.

Cuidar do nosso corpo com boa alimentação e exercícios.
photo (1)
Precisando de ajuda podemos contar com a Jaqueline, nossa nutricionista top!
Pra conhecê-la clique no blog aqui.

Cultivar bons pensamentos e enxergar a beleza da vida aproveitando cada instante.
photo
Consuelo, uma das experts neste quesito.
Aproveita e começa a segui-la no Consueloblog clicando aqui

Alegrar-se com as vitórias de cada dia.
Ser solidário.
Ajudar e ajudar e ajudar.
são franscisco quadrado
Arte de Maria Cininha

Que venham lindos projetos como o Vestidinhos de Algodão para as meninas do sertão e como nosso projeto do coração o dogart.

Não contentar-se com pouco, o conhecimento não tem limite.

Quem ainda não conhece a Luciene por favor corre para o blog dela clicando aqui e aproveita para assistir ao vídeo acima.

Cultivar e alimentar as amizades
SONY DSC
Né Salotto?

Fazer da vida uma aventura criativa.
Image
Certo Maria Cininha?

Planejar,enfrentar os medos e agir!
capa-agenda-arte-2016
Agenda Sciacco Studio 2016 pra ajudar no planejamento!

E ser grato. Sempre!

Pode chegar 2016!
Estamos juntos!

12 Comments

Filed under Acessórios com Arte, alimentação, Arte, Mulheres que fazem a diferença, pessoas que fazem a diferença

Lançamento do livro: Laila tinha uma surpresa. Uma história de Shabat

Hoje  quero falar do lançamento de um livro que tem duas autoras, Tania Menai e Luciana Pajecki Lederman. Conta também com a ilustradora carioca Babi Wrobel Steinberg.

Antes de falar do livro, quero contar pra vocês como conheci a Tania.(Fiz um post, um tempinho atrás falando de algumas pessoas incríveis que conheci através da internet. Se você quiser ler o post clique aqui.)

Então,Tania é uma destas pessoas incríveis! Pesquisando pela internet cheguei ao site dela.
Fui lendo as entrevistas (que ela é craque em fazer), conheci o blog que ela mantém na revista TPM, o SóemNY e fui me tornando fã de tudo que ela escrevia. Acompanhei o lançamento do primeiro livro, do Oiapoque ao Chui e o nascimento da filhinha Laila. Neste tempo já a conhecia pessoalmente e fiquei mais fã ainda.
imaginem a minha felicidade quando ela aceitou desenvolver um trabalho conosco!!
:)
Tenho o maior orgulho de ter no currículo do nosso escritório algumas newsletters escritas por ela.
Você pode ler alguns dos textos da Tania que publiquei no blog aqui, aqui e aqui.

Vamos ao livro:
capalaila

O Livro (Texto do site, por Tania Menai).

Tudo começou num delicioso almoço de Shabat na casa da Luciana, em outubro de 2013, em Nova York. Conversamos sobre a quantidade e variedade de livros judaicos para crianças em livrarias americanas: pessach, chanuká, sukot, eles tem de tudo. A comparação é sempre inevitável: no Brasil, a realidade é outra.

Adoraríamos que as crianças brasileiras também pudessem usufruir de livros com temas judaicos feitos para elas, com um toque contemporâneo e tropical. Então resolvemos criar! Nossa intenção é escrever uma série que inclui festas e valores. Para começar, elegemos o Shabat, por ser atemporal, universal e cada vez mais necessário.

Resolvemos que a história giraria em torno de uma família moderna, que inclui avô sefaradi, avó esquenazi, pai, mãe e três filhos: uma menina e seus dois irmãos mais velhos. Os nomes das crianças são em hebraico, curtos e acabaram sendo dos nossos próprios filhos. Prezamos a mistura, a abertura e a diversidade: as cenas na escola mostram bem isso.

Tentamos passar a mensagem de um judaísmo contemporâneo, vivido na realidade brasileira, ou de qualquer país da América Latina. Um livro para famílias de casamentos mistos, para crianças judias e não-judias, para crianças de escolas judaicas ou não. Enfim, um livro para crianças.

O tema da história gira em torno de tempo e família e acertamos em cheio ao escolher – a dedo – a Babi para ilustrá-lo. Ela mora no Rio, então nossas reuniões eram por Skype. O resultado não poderia ter sido melhor, não acham?

Nosso projeto sempre foi recebido com sorrisos. Ainda em fase embrionária, a Miriam Gabbai da Editora Callis topou publicá-lo. A partir daí, partimos para a fase de captação de recursos. Para a nossa surpresa, um pequeno grupo de amigos colaboraram sem pestanejar.

Além disso, 160 amigos e conhecidos colaboraram em nossa campanha de crowdfunding, via o site Catarse, que teve mais de mil compartilhamentos em mídia social. Levantamos 130% do valor solicitado, em apenas duas semanas (o prazo era 40 dias!).

Dois anos e muitos capuccinos mais tarde, esperamos que a leitura traga sorrisos, seja um ótimo companheiro das horas em família e incentive, cada vez mais, a apreciação deste tempo.

 

Sobre as autoras:

A paulistana Luciana Pajecki Lederman vive em Nova York, onde cursa Doutorado em Talmud e Educação. Depois de estudar direito e psicologia,em São Paulo, mudou-se em 1999 com o marido para Nova York, onde estudou em horário integral no Jewish Theological Seminar, na Columbia University, deu aulas, participou de seminários, realizou casamentos e trabalhou como voluntária em hospitais e residências para idosos. No Brasil, ela exerceu o rabinato na comunidade paulistana Shalom entre 2005 e 2011, com a qual mantém um forte vínculo.

A jornalista Tania Menai nasceu no Rio de Janeiro, formada em comunicação social pela PUC. Radicada em Nova York desde 1995, de onde trabalha para a mídia brasileira, foi correspondente das revistas Veja e Exame, radio CBN e TV Futura – colabora até hoje para publicações como revista Piaui, Projeto Draft, Trip, TPM, Viagem e 3/3 Turismo, além de publicações costumizadas. É autora de dos livros “Nova York do Oiapoque ao Chui” (Ed. Casa da Palavra), “Tirado os Sapatos” (Ed. Rocco) co-escrito com o rabino Nilton Bonder, e Guia de Nova York (Ed. Abril). Mais em taniamenai.com e nychui.com

A ilustradora carioca Babi Wrobel Steinberg, vive no Rio de Janeiro. Ela é formada em design gráfico com mestrado na Pratt Institute de Nova York. De volta ao Brasil, elaborou trabalhos para estúdios de animação, publicidade, livros infantis, revistas, estamparia, moda, embalagens –chegou a participar da renomada exposição “Ilustrando em Revista”, da Ed. Abril. Babi trabalha com técnicas digitais (ideal para o e-book) e tradicionais como aquarela, lápis de cor, pastel e nanquim. Seu mais recente livro foi lançado em 2014, trazendo um conto que ela escutava de seu pai, Ivan Wrobel: Todo Mundo Saiu. (Editora Escrita Fina). Mais em babiws.com.br

 

Image
Serviço:
Dados: Callis Editora
Autoras: Tania Menai e Luciana Pajecki Lederman
Ilustradora: Babi W. Steinberg
48 páginas, com texto para os pais e receita de chalá na parte final
Lançamentos:
São Paulo – 29 de novembro de 2015 `as 15.30 na Livraria Cultura do
Shopping Iguatemi (leitura com autoras `as 16hs)
Rio de Janeiro – 17 de janeiro de 2016 `as 17hs na Livraria Argumento
do Leblon (leitura com as autoras `as 17.30hs)

1 Comment

Filed under Escritores, Mulheres que fazem a diferença, São Paulo

Palestra e oficina criativa com Maria Cininha

20150319-091632.jpg
Maria Cininha

Amigos, esta semana aconteceu a palestra e oficina criativa com a artista plástica Maria Cininha.
Ano passado fiz uma entrevista com ela para o blog da Consuelo Blocker.
Para ler o post no Consueloblog clique aqui.

O assunto abordado também foi sobre criatividade e envelhecimento e ainda com oficina criativa.
Foi super interessante!!!

Cininha falou da sua trajetória, de sua tese que aborda o assunto criatividade e envelhecimento, sobre os caminhos que podem nos ajudar a explorar nosso potencial criativo, sobre os seus projetos, sobre as Marias, sobre o projeto Maria vai à Praça.
Para saber mais do projeto Maria vai à Praça clique aqui

Depois todos nós recebemos uma folha impresa com a mesma imagem, que era uma mesa posta com quatro pratos com tonalidades azuis, garfos e facas e alguns detalhes de flor. Recebemos também duas folhas coloridas, onde deveríamos fazer a colagem e mais algumas folhas com flores, listras, bolinhas, folhas prateadas, douradas, canetas, lápis, furador, tesoura e cola.

A proposta era a seguinte: tinhamos que criar algo com aqueles pratos. Eles teriam que aparecer inteiros no que criassemos, fora esta regra, liberdade total.

“Das coisas nascem coisas” este era o título de nossa oficina.
Incrível como cada pessoa tem um olhar para cada coisa e onde a imaginação pode nos levar.
E mais incrível como pensamos uma coisa ao criar e o outro quando olha para o que criamos pensa em outra totalmente diferente.
Simplifiquei bem, mas é mais ou menos o que acontece quando olhamos para uma obra de arte, cada qual com seu pensamento, sentimento e impressão única do que está vendo de acordo com sua própria vivência.

Esta foi imagem que recebemos:

20150319-085233.jpg

Algumas criações:

20150319-085344.jpg

20150319-085529.jpg

20150319-085617.jpg

20150319-085712.jpg

20150319-085815.jpg

20150319-085919.jpg

20150319-090010.jpg

20150319-090058.jpg

20150319-090113.jpg

20150319-090127.jpg

Estas foram as minhas: :)

Nesta primeira pensei em um vaso com flor, uma amiga que viu pensou em um carroussel e outra em uma roda gigante! :)

20150319-090235.jpg

20150319-090248.jpg

Mais criaçōes:

20150319-093254.jpg

20150319-093307.jpg

20150319-093319.jpg

20150319-093330.jpg

20150319-093341.jpg

20150319-093359.jpg

20150319-093410.jpg

Cininha tem muito repertório, ideias, criatividade e uma história de vida inspiradora, sempre quis trabalhar com arte, mas só começou a faculdade perto dos 40 anos, mostrando que é possível, em qualquer tempo da vida, concretizar nossos sonhos e planos.

Obrigada Cininha!

4 Comments

Filed under Acessórios com Arte, Arte, Entrevistas, Ilustração, Mulheres que fazem a diferença, Palestras, pessoas que fazem a diferença, São Paulo

Big Eyes de Tim Burton – Oscar 2015

Hoje é dia de Oscar. Premiação anual americana dedicada ao cinema.
Vários filmes bons!!
Até agora vi dois, Whiplash(excelente!!) e Big Eyes de Tim Burton. Gosto muito do diretor, mas o filme não lembra os efeitos fantásticos que fazem parte da universo dele, talvez uma única cena mostre sua criatividade… A dos olhos grandes…

É um filme baseado em uma história real, da pintora Margareth Keane e seu segundo marido Walter Keane. Eu gostei do filme, mas poderia ter sido melhor, a vida deles é muito interessante e o filme representa a história sem grandes surpresas. Os atores também são bons, mas sem momentos incríveis.
Interessante ver como o marketing levanta um artista e suas obras. Walter apesar de assumir a autoria das obras, tem o talento inegável para a promoção de seu próprio nome e das obras.

A sinopse do filme:

Não recomendado para menores de 12 anos
O drama da pintora Margaret Keane (Amy Adams), uma das artistas mais comercialmente rentáveis dos anos 1950 graças aos seus retratos de crianças com olhos grandes e assustadores. Defensora das causas feministas, ela teve que lutar contra o próprio marido no tribunal, já que o também pintor Walter Keane (Christoph Waltz) afirmava ser o verdadeiro autor de suas obras.
Título original:Big Eyes
Distribuidor:PARIS FILMES
Ano de produção:2014

“A história por trás de Grandes Olhos é extraordinária: Margaret Ulbrich é uma pintora insegura, mãe solteira, até descobrir o carismático Walter Keane e se casar. Ela cria obras populares de crianças com grandes olhos, mas Walter passa a assumir publicamente a autoria das obras, com a conivência da esposa. Dez anos mais tarde, ela decide processá-lo na justiça para retomar o direito de seus próprios quadros. Mas como todos teriam acreditado nessa farsa durante tanto tempo? Por que Margaret teria se deixado levar pelo esquema? Estas são algumas das questões fascinantes levantadas pela história.”

Algumas de suas telas.

.

20150223-004349.jpg

20150223-004436.jpg

20150223-004655.jpg

20150223-004527.jpg

20150223-004852.jpg

A pintora Margareth Keane.

Trailler aqui

Leave a Comment

Filed under Arte, artista do dia, Mulheres que fazem a diferença

O que dar pra mamãe?

Recebi um release da Granado e lembrei de um post que não publiquei.
Na época do dia das mães, recebi um release também da Granado e pretendia sugerir alguns produtos dizendo que apesar de sabermos que a data é por motivos comerciais, todo dia é dia de agradar uma mamãe e por que não aproveitar esta data já estabelecida no calendário pra ficar perto da pessoa que merece todos os mimos e comprar algo especial?

Passou, não publiquei e hoje quando comecei a ler fiquei pensando na ENORME importância da mãe na nossa vida, em como é bom ter mãe, como é maravilhoso amadurecer e poder fortalecer o relacionamento.

Lembrei também de uma história que escutei, não sei se é verdadeira, de um jovem que teve que passar dias no hospital com sua mãe doente e o médico disse que ajudaria muito se o filho pudesse ler sobre assuntos que a senhora gostava, trazer a flor que ela achava mais bonita, perfumá-la com o seu perfume preferido, trazer sua comida predileta. O filho, surpreso com o pedido do médico: mas Doutor, eu não sei nada disto, nunca prestei atenção, nunca tive tempo e curiosidade sobre quem era minha mãe além de ser minha mãe.

Queridos, não desperdicem um dia, um email, uma mensagem de texto, uma ligação, uma palavrinha, não deixem que suas mamães sintam-se invisíveis.
Não sou ainda a filha que eu gostaria de ser, sou cheia de falhas, mas sei que não quero desperdiçar tempo precioso sem mostrar pra minha mãe o que ela significa pra mim e que desejo conhecê-la profundamente.

Agora sobre os presentes:
A atenção de um filho mostra que somos amadas e isto é o maior dos presentes.
Claro que atenção acompanhada de um perfume, um sapatinho, um livro, um bolo de morango ou um brilhantinho, é felicidade completa!!

Beijos aos amigos que tiram tempo pra ler o que escrevo.

20141017-014431.jpg
Madonna and Child

Leave a Comment

Filed under Mulheres que fazem a diferença, pessoas que fazem a diferença